Estilo Lima

Haja pau e corra sangue

Escrito por Quinta, 28 Abril 2016 20:47

Eleição Municipal em Aracati em 1844 

 

Desde o começo da semana, que começava a chegar gente, vindo de todas as partes do município. As caravanas e os comboios chegados de Catinga do Góis[1] se confundiam com os que chegavam de Caiçara[2] num vai e vem pelas ruas empoeiradas da ex-Vila de Santa Cruz do Aracati, agora cidade de Aracati, recém-emancipada festivamente no dia 25 de outubro de 1842.

Fortificações do Baixo Jaguaribe

Escrito por Quarta, 27 Abril 2016 16:33

Fortificações do Baixo Jaguaribe[1]

 

Além do fortim de diminuta importância erigido, em fins do século XVII, para o amparo dos colonos do baixo Jaguaribe contra os gentios Paiacus, levantaram mais, os luso-brasileiros na parte litorânea daquela região, três outros redutos cuja memória iremos tentar reviver aqui.

Propositadamente o Cel. Manuel José Pereira Pacheco, Comandante Superior da Guarda Nacional e presidente da Câmara Municipal de Aracati, não fora repousar em seu sítio Glória, no Cumbe, como fazia todos os domingos quando seus múltiplos afazeres e suas viagens a Natal e a Fortaleza para cuidar dos seus negócios permitiam.

O FIM DE UMA VOCAÇÃO

Escrito por Sábado, 09 Abril 2016 19:51

Quase duas horas da tarde. Numa casa modesta da Rua Visconde de Itaúna, no Rio de Janeiro, um homem começava a agonizar. O dia era 1º de janeiro. O ano, 1897. Esse homem, que não tinha ainda trinta anos de idade, pois nascera em Aracati, no seu Ceará distante, no dia 29 de maio de 1867, chamava-se Adolfo. Adolfo Caminha.

Sabemos que, em Aracati, a Igreja Nossa Senhora do Rosário é a Matriz da cidade e que sua primeira edificação, em taipa e telha, foi erigida no local onde faziam charqueadas e que, para que o terreno permitisse tal construção, em 1714, foram derrubadas muitas carnaubeiras e algumas umarizeiras.

ARACATI ERA ASSIM | 1933

Escrito por Sexta, 01 Abril 2016 08:50

Após transpor o grande rio em cuja margem estavam a nos esperar alguns amigos. Visitamos o monumento erigido à memória dos aviadores alemães do Junkers mortos nesta cidade. (Desastre aéreo ocorrido em Aracati no dia 25 de junho de 1923, onde faleceram dois pilotos alemães: Herman Muller e Werner Junkers. O monumento foi destruído no dia 14 de agosto de 1942, por um grupo de reservistas do Aracati, revoltados com os afundamentos dos navios Brasileiros pelos submarinos Alemães). Dirigimo-nos ao Hotel Avenida, (Sobrado da Cel Alexanzito onde funcionou a Marinha Mercante, vizinho ao sobrado onde nasceu Adolfo Caminha) o melhor da cidade.[...]

Página 7 de 19

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
11
12
18
19
20
21
22
26
27
28
29
30