Estilo Lima
TRECHO DA RUA CORONEL ALEXANZITO. AO FUNDO A PRAÇA DOM LUIZ. Foto de 1924. TRECHO DA RUA CORONEL ALEXANZITO. AO FUNDO A PRAÇA DOM LUIZ. Foto de 1924. Abílio Monteiro

ARACATI ERA ASSIM | 1933

Escrito por  Sexta, 01 Abril 2016 08:50

Após transpor o grande rio em cuja margem estavam a nos esperar alguns amigos. Visitamos o monumento erigido à memória dos aviadores alemães do Junkers mortos nesta cidade. (Desastre aéreo ocorrido em Aracati no dia 25 de junho de 1923, onde faleceram dois pilotos alemães: Herman Muller e Werner Junkers. O monumento foi destruído no dia 14 de agosto de 1942, por um grupo de reservistas do Aracati, revoltados com os afundamentos dos navios Brasileiros pelos submarinos Alemães). Dirigimo-nos ao Hotel Avenida, (Sobrado da Cel Alexanzito onde funcionou a Marinha Mercante, vizinho ao sobrado onde nasceu Adolfo Caminha) o melhor da cidade.[...]

 

[...](Passeando pela cidade que atestam seus casarões ser uma das mais antigas do Estado.) Seus casarões de estilo colonial, os seus enormes sobrados, alguns em ruínas.

 

É iluminada à eletricidade, mas a luz é mui deficiente. As ruas não são calçadas e, em algumas, o matagal vai cobrindo os passeios, dando assim desagradável impressão aos visitantes. Não recebemos nenhuma visita das autoridades locais, apesar de havermos sido portadores de uma recomendação do Departamento Municipal para o prefeito da cidade, a quem encontramos em Cascavel, fazendo entrega da mesma.

 

Soubemos mais tarde que o jovem administrador (Antonio Perilo Texeira era o Prefeito de Aracati) escrevera ao seu substituto, declarando que nada poderia facilitar aos empreendedores do Raid (Raid pedestre em homenagem a Dr. Jose Américo de Almeida, político paraibano, Ministro da Viação e Obras Publicas no governo Getúlio Vargas). Entretanto nada nos faltou desde o momento que pisamos as plagas aracatienses.

 

Vultos de destaque no alto comércio ao terem conhecimento de que não contávamos com o amparo das autoridades, mandaram nos avisar que faziam questão de custear nossa hospedagem nos dias que permanecêssemos.

 

A velha cidade depois das 8 horas da noite mergulha numa monotonia profunda. Excetuando as poucas rodas que familiarmente se formam nas calçadas, não há outra diversão. O cinema local há muito que não funciona.

 

Quando ainda cedo nos recolhíamos ao hotel, fomos apresentados ao velho jornalista João Freire de Andrade, diretor de “O Jaguaribe.” É uma figura insinuante que sabe prender com afabilidade e trato. Estava em sua trincheira escrevendo um editorial.

 

Às 9 horas da noite as ruas estão completamente desertas açoitadas constantemente pelo vento forte do mar. Mais tarde apaga-se a luz e a escuridão é tenebrosa[...]

 

Avalie este item
(2 votos)
Lido 479 vezes Última modificação em Sexta, 01 Abril 2016 09:11
Antero Pereira Filho

ANTERO PEREIRA FILHO, nascido no Aracati em 30 de novembro de 1946, foi o terceiro filho do casal Antero Pereira da Silva e Maria Bezerra da Silva. Viveu sua infância em Icapui onde foi alfabetizado pela professora Dona Preta. Em 1957, ingressou no Grupo Escolar Barão de Aracati. Em 1974, casou-se com Maria do Carmo Praça Pereira e deste matrimônio nasceram os filhos Janaina Praça Pereira, Armando Pinto Praça Neto e Juliana Praça Pereira.

 

Em 1976 graduou-se em Ciências Econômicas pela URRN-RN. Atuou à frente do Instituto do Museu Jaguaribano como presidente, função que exerceu em duas diretorias (1976 1979/1982-1985). Foi secretário na gestão do prefeito Abelardo Gurgel Costa Lima Filho (1992-1996) período em que assumiu a pasta da Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Cultura.

 

A história e a memória da cidade e do povo aracatiense constituem objetos de seus estudos amplamente divulgados em crônicas e artigos publicados na imprensa local em que colabora desde 1975. Em 2005 a crônica "O Amor do Palhaço", de sua autoria, foi adaptada para o cinema em um curta metragem (15") homônimo com direção de Armando Praça Neto,

 

Obra

Assim me Contaram. (1ª Edição 1996 e 2ª Edição 2015)

Histórias de Assombração do Aracati. Publicação do autor. (1ª Edição 2006 e 2ª Edição 2016)

Ponte Presidente Juscelino Kubitschek. (2009) 

A Maçonaria em Aracati (1920-1949). (2010)

Fatos e Acontecimentos Marcantes da História do Aracati. (Inédito)

Aracati era assim (Inédito)

Notícias do Povo Aracatiense (Inédito)

 

Itens relacionados (por tag)

1 Comentário

  • Link do comentário Ramona Pimentel Sexta, 18 Novembro 2016 20:23 postado por Ramona Pimentel

    Olá,
    Tenho pesquisado sobre quem foi o Cel. Alexanzito, mas não encontro nada.
    Vocês tem algum dado sobre ele?
    É para um trabalho escolar.
    Obrigada

    Relatar

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
3
4
10
11
17
18
20
24
25
27
29
31