Cia. Retalhos

Escrito por  Quinta, 17 Julho 2008 15:28

A Cia. Retalhos de Teatro foi fundada por Ricardo Freitas de Lima, Lindiberto Barbosa Batista, Francisco Erivando Alves Braga, Jucieldo Diogo de Freitas, Marcelo dos Santos Costa, José Rodrigues Biserra e Renildo Franco em 25 de abril de 2000, concomitantemente à fundação do Centro de Arte e Cultura Retalhos. A companhia dedicou-se exclusivamente à montagens de peças teatrais para o teatro de rua.

Os integrantes do coletivo, em sua grande maioria dissidentes do Grupo Lua Cheia de Teatro, de formação autodidata, têm no intercâmbio cultural o meio oportuno para a preparação dos artistas e o desenvolvimento das potencialidades do grupo. Cada montagem realizada pela trupe leva em média três meses para ser finalizada. Nesse ínterim escolhe os textos a partir de leituras dramáticas realizadas por seus integrantes. Os encontros diários realizados entre seus integrantes estão condicionados às demandas do próprio grupo. Os procedimentos de seleção dos textos a serem encenados estão baseados em dois aspectos, a saber: textos criados coletivamente e peças de autores célebres da dramaturgia. Isto se pode verificar nas seguintes montagens: Retalhos em Prosa (Texto e direção coletiva, 2000); Auto da Camisinha (Texto de José Maria Mapurunga e direção coletiva, 2000); O Rapaz da Rabeca e a Moça da Camisinha (Texto de José Mapurunga e direção coletiva, 2002); O Jardim de Getsêmani (Autoria não mencionada e direção coletiva, 2004). A direção dos espetáculos, conforme exposto, é compartilhada pela companhia. Nos anos de 2002 e 2004, o grupo participou de eventos teatrais nos quais fora agraciado com premiação. A montagem da peça O Rapaz da Rabeca e a Moça da Camisinha, em 2002, foi premiado com o troféu de Melhor Figurino, Melhor Maquiagem e Melhor Conjunto da Obra no Festival de Teatro de Acopiara. Em 2004, o referido espetáculo foi contemplado com os troféus de primeiro lugar na modalidade maquiagem e segundo na modalidade figurino no Festival Isnard Azevedo da cidade de Florianópolis-SC. O coletivo mantém seus trabalhos com o auxílio de patrocínios e apoios bem como a captação de recursos advindos com a venda de espetáculos e apresentações por bilheteria. O sucesso alcançado pela companhia, no entanto, não impediu o fim de suas atividades em 2006.


Montagens

Retalhos em Prosa (Texto e direção coletiva, 2000);
Auto da Camisinha (Texto de José Maria Mapurunga e direção coletiva, 2000);
O Rapaz da Rabeca e a Moça da Camisinha (Texto de José Mapurunga e direção coletiva, 2002);
O Jardim de Getsêmani (Autoria não mencionada e direção coletiva, 2004).


Prêmios

Melhor Figurino, melhor maquiagem e melhor conjunto da obra. O Rapaz da Rabeca e a Moça da Camisinha. Festival de Acopiara, 2002;
Primeiro Lugar em Maquiagem e segundo Lugar em Figurino. O rapaz da Rabeca e a Moça da Camisinha. Festival Isnard Azevedo, Florianópolis-SC, 2004.

 

Responsável
Ricardo Freitas de Lima

 

Personalidade Jurídica
Centro de Arte e Cultura Retalhos

Avalie este item
(0 votos)
Lido 8 vezes Última modificação em Terça, 14 Novembro 2017 15:35
Editor Chefe

A Associação Artístico Cultural Lua Cheia é uma entidade sem fins lucrativos. Seus projetos têm por objetivo o desenvolvimento e a promoção da cultural em geral, particularmente o teatro , a literatura, as artes plásticas e a música. Nestes segmentos busca capacitar e divulgar bens e serviços de ordem artístico-cultural.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
11
12
18
19
20
21
22
26
27
28
29
30