Grupo Lua Cheia de Teatro. 2012 Grupo Lua Cheia de Teatro. 2012 Acervo da AACLC

É belo ver o Lua Cheia

Escrito por  Domingo, 26 Agosto 2012 16:37

O dia em que nascemos traduz em si o ciclo da vida repetido milhões de vezes. Mas não é o único. Nascemos muitas vezes, vivemos muitas vidas e a essência disto reside num acumulado de experiências e aprendizados que constituem o arcabouço do ser.

 


O nascimento do Grupo Lua Cheia se deu de modo especial. Fruto do sonho de jovens artistas o grupo nascia sob a luz de uma lua cheia de agosto de 1990, e tomaria emprestada a lua cheia por codinome. A mesma lua cheia que embala o aconchego dos enamorados, que flutua radiante sob os oceanos, que cintila no verso do poeta, que nos arrebata com seus mistérios, que afugenta a escuridão da noite. Assim é o Grupo Lua Cheia suspensa no céu e cravada de estrelas na Terra. Foi com a mesma luz advinda da lua de 1990, que o Grupo Lua Cheia construiu seu itinerário de sonhos e realizações.


Hoje reunimos amigos, familiares e colaboradores para celebrar a vida na arte e a arte na vida. Margot Berthold em seu livro História Mundial do Teatro apresenta uma belíssima metáfora sobre o efêmero presente no instante teatral ao comparar esse momento com a vela que após acessa se consome no ato de iluminar. Findo este ato tudo mais é história e memória. Para ser teatro que se acenda outra vela.

 

 

Como contabilizar vinte e dois anos de história e memória na tentativa incessante de ser luz?

Ao longo de mais de duas décadas cremos que o maior legado deixado pelo Grupo Lua Cheia foi o de revelar a cidade de Aracati. Um Aracati por vezes anônimo, esquecido, utópico, desacreditado, subestimado, rico, complexo, antagônico, cosmopolita, bairrista, provinciano, exótico, deslumbrante, idealizado. A cada surgimento do Lua Cheia aprendemos mais sobre Adolfo Caminha, Leontino Filho, Raimundo Herculano de Moura, Antero Pereira Filho, Jacques Klein, Banda Chico de Janes, Francisca Clotilde, Hélio Santos, Júlio César da Fonseca entre outros.

 

Aprendemos pelo encantamento que é a forma mais eficiente de ensinar e assim o fez o Grupo Lua Cheia ao promover exposições de artes, ao dar publicidade à literatura aracatiense, ao pautar a educação patrimonial como um princípio básico de sentimento de pertença, ao encenar uma dramaturgia engajada com o propósito do teatro de grupo. Por tudo isso é belo ver o Lua Cheia.

 

22º Aniversário de fundação do Grupo Lua Cheia de Teatro. Museu Jaguaribano. Aracati, 25 de agosto.

Avalie este item
(0 votos)
Lido 907 vezes Última modificação em Terça, 14 Janeiro 2014 16:39
Marciano Ponciano Virginio

Sou natural de Aracati-Ce, terra onde os bons ventos sopram. Na academia da vida constitui-me poeta, realizador de sonhos, encenador de máscaras. Na academia dos saberes acumulados titulei-me professor de Língua Portuguesa e especializei-me em Arte-Educação. O projeto de vida é semear a arte por onde passe: teatro, poesia, artes plásticas- frutos da experiência acumulada em anos dedicados a ser feliz. Quando me perguntam quem sou - ator, poeta, encenador, artista plástico, educador? Afirmo: - Sou poeta!

1 Comentário

  • Link do comentário Iany Bessa Quinta, 19 Dezembro 2013 12:55 postado por Iany Bessa

    Amigos do Lua Cheia Assim me sinto ao conhece-los, Amiga de todos vocês, Quero assim ser considerada! Amigos têm coisas em comum A alegria, o entusiasmo a confiança os traduz! Esse grupo é forte de se ver Me senti arrepiada Algo forte me invadiu! Em pensar como mediar o conhecimento em Arte Fui lá e me senti mediada, encantada A interpretação, o som percorreram meu corpo Foi invadida minha alma! Parabéns Lua cheia pelo 22º aniversário! profª Iany Bessa

    Relatar

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
6
7
13
14
20
21
27
28
30
31