Água Cristalina
Emília Freitas

Emília Freitas

Emília Freitas- nasceu em 1855, em vila União – atual Jaguaruana –, distrito de Aracati, pertencente à província do Ceará. Faleceu em 1908, em Manaus. Ela conviveu parte de sua vida com a instituição da escravatura, inclusive em sua própria casa, pois sua família era proprietária de escravizados, assim como outras famílias brancas de seu tempo, na região litorânea das províncias do Norte do Brasil.

Durante a infância nos idos de 1855/1865, na região de Aracati (Ceará), ela parece ter observado o tratamento que os africanos e seus descendentes, bem como os indígenas, coisificados pelo sistema escravista, recebiam daqueles que se julgavam seus proprietários, e deve ter testemunhado como aquela gente, além de ser apartada do estatuto de pessoa humana, era maltratada (açoites, castigos, detrato, enfermidades não assistidas, segregações, entre outros) e obrigada ao trabalho forçado, mesmo em ambiente doméstico. p.19

[...]

A produção intelectual de Emília Freitas é datada da segunda metade do século XIX e dos primeiros anos do século XX, sendo realizada tanto em poesia como em prosa. Ela escreveu dois romances: A Rainha do Ignoto: romance psicológico, publicado em 1899, e O Renegado, publicado, em 1892. Deste último consta, na reduzida fortuna crítica de sua produção intelectual, apenas referências ao título e à data de publicação, não tendo sido ainda localizado nos principais acervos bibliográficos e documentais, públicos e privados, do país. Já os poemas, que ela compôs durante as décadas de 1870 e 1880, foram reunidos no livro Canções do Lar, publicado em 1891, em Fortaleza. Emília Freitas elaborou também artigos para diversos periódicos – assinando-os pessoalmente – e colaborou para a publicação de outros textos – sem assiná-los. Além disso, escreveu uma peça de teatro intitulada Nossa Senhora da Penha, encenada na cidade cearense de Maranguape, em 1901.[...] p.13

Referência:
OLIVEIRA, Alcilene Cavalcante de. Uma escritora na periferia do Império: vida e obra de Emília Freitas (1855-1908). 2007. 184 f. Tese (Doutorado) - Curso de Pós-graduação em Letras: Estudos Literários, Departamento de Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

OS LIVROS

Sexta, 14 Dezembro 2012 18:21

OS LIVROS

 

 

A MEU IRMÃO AFFONSO AMERICO DE FREITAS.

 

                  

 

À tudo que a terra possue de valor 

Os – Livros – excedem, são mais preciosos! 

Deserto, não chamo, lugar onde os ha; 

Pois fazem os dias do exílio ditosos. 

A VILLA UNIÃO

Sexta, 14 Dezembro 2012 18:20

A VILLA UNIÃO

 

 

A igreja primeiro de longe se avista, 

A margem esquerda do rio ela fica; 

Sem ser pitoresca tem muitos encantos; 

Não é miserável nem chama-se rica. 

UMA LEMBRANÇA

Sexta, 14 Dezembro 2012 18:20

UMA LEMBRANÇA

 

 

Quem pode dizer que em chão de rosas

Vagou sem cravar-se nos espinhos?

Aquele que partiu cá deste mundo

Na idade em que a vida é só carinhos.

Please add banners under category :EV

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
11
12
18
19
20
21
22
26
27
28
29
30