ARACATI | HERMA DO MONSENHOR BRUNO RODRIGUES DA...
A cidade do Aracati numa homenagem sincera a seu ilustre filho, ergueu-lhe na antiga Praça dos Prazeres, que recebeu... Leia mais
ARACATI | Monumento da Praça da Independência
Comemorativo do transcurso do 1º Centenário da Independência do Brasil, se ergue ao lado do Paço Municipal1, quase no... Leia mais
ARACATI | Monumento a Dom Luiz Antônio dos Santos
Em comemoração à primeira visita deste antístite – “primeiro bispo do Ceará, foi construído, à entrada norte da Rua... Leia mais
LABIRINTO | Criatividade, habilidade e matemática
Estes são os valores que a rendeira trabalha na "grade" feito um tabuleiro de xadrez. Com maestria, e por bravura, ela... Leia mais
A pena de morte em Aracati
O ilustrado dr. Paulino Nogueira, de saudosa memória, falecido em 15 de junho de 1908, ocupou-se na Revista do... Leia mais
ARACATI| Monumento aos aviadores alemães
Monumento erigido no extremo sul da Rua Cons. Liberato Barroso (atualmente Rua Cel. Alexanzito), imediações da Praça... Leia mais
prev
next

Cólera-morbo: A Epidemia em Aracati

Publicado em História
Segunda, 13 Junho 2016 23:01

 

[...] “Chegou de Pernambuco no dia 24 de Fevereiro próximo passado o iate Invencível, até o presente não tem descarregado; e nem mandado a correspondência para terra por lhe ter sido determinado pela polícia quarentena, visto achar-se aquela praça abraços com o cólera. Anteontem o Senhor Juiz Municipal e Delegado Dr. Miguel Joaquim de Almeida Castro, segui para a barra em companhia dos médicos, para determinar o melhor ancoradouro e os barcos que tiverem de fazer quarentena; e dizem que foram dados ao mestre do Invencível alguns desinfetantes para usar deles e seguir hoje para o porto de descarga. Confiamos no senhor Dr. Castro que não poupará meios a seu alcance para que não seja importado o cólera de Pernambuco para aqui”.

ARACATI ERA ASSIM | A Morte pelo Dever

Publicado em História
Sábado, 26 Março 2016 20:26

Quando alguém caía doente de cólera-morbo, a primeira providência era chamar o padre para dar a extrema unção, pois sendo uma doença mortal naquele tempo, meados do século XIX, os conhecimentos médicos eram quase inúteis ante a ferocidade do mal. Restava então somente apelar para Deus, dando um encaminhamento à sua presença, através dos santos sacramentos, àquele indivíduo que por ventura viesse a ser acometido de cólera-morbo.

Agenda

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
6
7
13
14
20
21
27
28
30
31